LabIUtil    useit.com    usernomics    usableweb
Laboratório de Utilizabilidade Home Page
LabIUtil - Laboratório de Utilizabilidade  
Home Publicações Projetos de Pesquisa Ferramentas para Usabilidade Serviços e Cursos Eventos Sobre o LabIUtil
Home >Publicações >Anais do Workshop 96 > Artigos > Cybis
  

 


Índice

1. Introdução

2. O desenvolvimento da noção de OIAe

2.2. OIAe como conteúdo-controle-expressão

2.3. O modelo de OIA

3. As classes de estruturas

3.3. A classe Composição

4. As classes de formas

4.1. As classes de formas básicas

4.1.2. As formas visuais

4.1.2.3. As formas visuais compostas

5. As classes de funções

5.1. Os Mostradores

5.2. Os Controles

5.3. Os Comandos

5.4. Os Painéis de Controle

6. Perspectivas

7. Referências Bibliográficas

"Modelo de objetos de interação abstratos ergonômicos: desenvolvimento e perspectivas"

Walter de Abreu Cybis, Dr. Eng.
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção
Universidade Federal de Santa Catarina
EPS/CTC/UFSC Florianópolis Campus Universitário - Bairro Trindade
CEP 88 040-900 - Florianópolis - SC - BRASIL
e-mail: cybis@eps.ufsc.br ou cybis@labiutil.inf.ufsc.br

1- Introdução

A problemática geral deste trabalho refere-se a consideração efetiva dos preceitos da ergonomia cognitiva nas decisões de projeto de interfaces homem-computador. A forma de apoio aqui proposta refere-se a uma toolbox ou a um modelo de objetos de interação que facilite o raciocínio ergonômico sobre a concepção e avaliação destas interfaces. Como visto por este autor, a principal questão refere-se as correspondências que possam existir entre os textos de recomendações ergonômicas e as classes de objetos de interação existentes nas plataformas de programação. O modelo de objetos de interação abstratos ergonômicos - OIAe - representa uma proposta de ferramenta de apoio desenvolvida com o objetivo específico de proporcionar níveis elevados de correspondências entre suas classes de objetos e as mais de 700 recomendações ergonômicas que estão em suas origens.

As soluções propostas para as questões de estrutura do modelo estão influenciadas pela perspectiva semiótica. Um sistema interativo é visto como um sistema de sinais, através dos quais o usuário aciona e interpreta os objetos envolvidos com sua tarefa. Da combinação das contribuições da semiótica computacional com técnicas de engenharia de software e das próprias recomendações ergonômicas, surge a proposta de OIAe como sinal computacional, a primitiva de um provável estilo de programação orientada a sinais.


Adaptação livre do site: www.nngroup.com
realizada por Renate de Oliveira