LabIUtil    useit.com    usernomics    usableweb
Laboratório de Utilizabilidade Home Page
LabIUtil - Laboratório de Utilizabilidade  
Home Publicações Projetos de Pesquisa Ferramentas para Usabilidade Serviços e Cursos Eventos Sobre o LabIUtil
Home >Publicações >Anais do Workshop 96 > Artigos > Neri dos Santos
  

 


Índice

Resumo

1. Introdução

2. Arquitetura proposta

2.1. Subsistema de procesamento primário e secundário

2.1.1. Domínio de Conduta

3. Mecanismo de Construção de Conhecimentos

4. Esquemas, esquemas compostos e meta-esquemas

4.1 Abstração reflexiva e construção generalizadora

4.2 Construção de esquemas-compostos pelo domínio de observação

5. Construtividade e Algoritmos Genéticos

6. Conclusões

7. Referências Bibliográficas

"Uma introdução à modelagem ecoergonômica"

Dr. Eng. Francisco Antonio Pereira Fialho
Departamento de Expressão Gráfica
Dr. Neri dos Santos
Departamento de Engenharia de Produção
Universidade Federal de Santa Catarina
Campus Universitário, Trindade, Florianópolis, SC, Brasil, CEP 88041-800
(0482) 2319705; e-mail FIALHO@MBOX1.UFSC.BR

PALAVRAS CHAVE
Organização, Ergonomia Cognitiva, Antropotecnologia, Eco-ergonomia

Abstract

Ecorgonomics deals with the complex problem of finding a optimal solution taking into consideration, social (including production), environmental, and human aspects. Organizations, people and the environment itself can be conceived as autopoietic entities of different orders' subject to the same architecture. Introducing this paper we'll present a general architecture simulating an autopoietic [1 entity similar to ourselves able to build knowledge not only from stimulus of the outside world but also from the internal need to solve its conflicts. Such mechanism seems to be the needed basis to support an ecoergonomics approach.]

Resumo

O objetivo da ecoergonomia é encontrar soluções ótimas dentro de um espaço de soluções levando em consideração aspectos sociais (incluindo produção), ambientais e os relativos a siubjetividade humana. Organizações, pessoas e meio-ambiente podem ser tratados como entidades autopoiéticas de diferentes ordens mas sujeitas a mesma arquitetura. Apresentaremos no presente, artigo uma arquitetura capaz de simular uma entidade autopoiética similar aos seres humanos dotada da habilidade de construir seu conhecimento não somente com base em estímulos originados do meio-ambiente mas também daqueles que resultam da necessidade de resolver seus conflitos internos. Tal mecanismo parece ser capaz de fornecer o suporte necessário ao desenvolvimento de uma abordagem ecoergonômica.


Adaptação livre do site: www.nngroup.com
realizada por Renate de Oliveira